Com o mercado cada vez mais competitivo, muitas lojas físicas estão ‘mudando de endereço’ e indo parar na internet. Segundo a pesquisa “O Perfil do E-commerce no Brasil”, realizada pelo Paypal, em 2015, o comércio eletrônico brasileiro era composto por 450 mil lojas virtuais ativas. Ela também mostrou que o e-commerce no Brasil terá um crescimento maior do que a economia do país e deverá movimentar aproximadamente R$ 92,9 bilhões em 2016.

Tudo isso está acontecendo porque os consumidores passam a maior parte de seu tempo conectados à internet. E para seguir esta tendência, muitas lojas estão migrando para o mundo virtual através de diversas plataformas de e-commerce open source, como Magento, WooCommerce e PrestaShop. Neste post, iremos comparar essas três plataformas, mostrando as vantagens e desvantagens de cada uma. Confira:

Integração Magento

A plataforma de e-commerce Magento é uma das mais utilizadas no mundo. Ela oferece ótimas soluções para varejistas, marcas e fabricantes, e proporciona boas experiências de compra tanto para compradores B2B quanto B2C. Segundo dados de uma pesquisa realizada pela própria companhia, a Magento transaciona anualmente um volume de mercadorias equivalente à US$ 50 bilhões.

Ela também é sustentada por uma comunidade global de mais de 800 mil desenvolvedores e pode ser integrada a mais 300 soluções oferecidas por parceiros de tecnologia da companhia. Isto sem contar o fato de ela possui uma enorme quantidade de extensões, plugins e complementos disponíveis para download. Abaixo, separamos suas vantagens e desvantagens:

Vantagens

  • Permite que a loja virtual seja customizada de acordo com as preferências do cliente;
  • Disponibiliza vários recursos que facilitam a gestão do catálogo de produtos e do frete;
  • Emite relatórios que são úteis para a administração do e-commerce;
  • Oferece ferramentas de SEO (Search Engine Optimization);
  • Integra-se com mais de 50 gateways de pagamento;
  • Suporta mais de 500 mil produtos cadastrados em um só e-commerce;
  • Consegue lidar com até 80 mil pedidos por hora;
  • Possui uma grande comunidade de desenvolvedores tanto no Brasil como no mundo.

Desvantagens

  • Demanda servidores robustos e não compartilhados;
  • Exige que alterações sejam feitas apenas por desenvolvedores altamente especializados;
  • Sua configuração e personalização são mais complexas;
  • Requer um maior tempo para implantação;
  • Algumas de suas extensões precisam ser instaladas por desenvolvedores.

PrestaShop

A plataforma PrestaShop oferece um sistema de e-commerce dinâmico e completo, usado por mais de 250 mil proprietários de lojas virtuais. Ela oferece uma solução tanto em código aberto quanto em nuvem híbrida, o que permite que pequenas lojas não sejam impedidas de terem um e-commerce devido a barreiras técnicas ou financeiras. Depois do seu surgimento em 2007, ela vem ganhando popularidade no mercado muito rapidamente.

Hoje, a plataforma PrestaShop é utilizada em mais de 200 países, principalmente na França Inglaterra e Portugal, e conta com uma comunidade de 850 mil desenvolvedores, que a enriquece com ferramentas que facilitam a criação e gerenciamento das lojas virtuais. O principal objetivo da PrestaShop é entregar uma solução simples, completa e gratuita, que permita que qualquer pessoa crie uma loja virtual.

Vantagens

  • Sua instalação inicial e personalização são bastante simples;
  • Oferece uma interface de usuário clara e amigável;
  • Disponibiliza mais de 25 mil plugins e extensões;
  • Possui integração nativa com Paypal e Pagseguro;
  • Apresenta ferramentas de SEO e gerenciamento de catálogo.

Desvantagens

  • Comunidade com poucos membros brasileiros;
  • Não é muito flexível e é adequada apenas para pequenas e médias empresas;
  • O suporte não é oferecido por uma equipe da companhia, e sim pelo fórum;
  • Alguns de seus modelos, temas e extensões são bastante caros.

Woocommerce

O Woocommerce é, na verdade, um plugin open source do WordPress. Para utilizá-lo, basta instalar o WordPress no servidor e, em seguida, fazer o download do plugin e ativá-lo. Ele vem ganhando uma contínua notoriedade desde o final de 2011, época em que foi lançado. Segundo o WordPress.Org, é utilizado por cerca de 30% de todas as lojas virtuais do mundo e já foi baixado mais de 13 milhões de vezes.

Essa plataforma é indicada principalmente para aqueles proprietários que não conhecem programação ou dominam pouco o assunto, por isso, é mais utilizada por e-commerces de pequeno porte. Ela deve ser configurada antes do início das vendas, bastando para isso seguir as orientações do próprio sistema.

Vantagens

  • Oferece uma interface simples e eficiente;
  • Permite que a loja ofereça ao cliente um painel para poder acompanhar seus pedidos;
  • Gera relatórios detalhados sobre as vendas;
  • Disponibiliza mais de 140 gateways de pagamento;
  • Integra-se facilmente com outros plugins disponíveis no WordPress;
  • Pode ser instalada e configurada rapidamente;
  • Possui uma comunidade com mais de 350 mil desenvolvedores.

Desvantagens

  • Sua atualização pode causar alguns danos na página do e-commerce;
  • Muitas das extensões disponibilizadas no sistema são caras.

Qual dessas plataformas open source de e-commerce você utiliza? Qual sua experiência com ela? Conte para a gente nos comentários!

Conheça a Plugg.to, e saiba como podemos auxiliar com a Integração Magento com Sistemas de marketplaces.