Quando se falam em vendas pela internet as pessoas sempre pensam em lojas virtuais. Ou seja, vender pela internet, para muitas pessoas, é ter um e-commerce. E isso acaba sendo um empecilho para muitos empreendedores, pois muitos não têm como investir em uma plataforma. Por isso, resolvemos dar uma boa notícia a todos vocês: não é preciso e-commerce para vender pela internet! Leia o artigo que preparamos e saiba como aumentar as suas vendas exponencialmente.

Usando o Marketplace para vender

O Marketplace nada mais é do que uma plataforma colaborativa para realizar vendas. Seria algo como um “shopping virtual”, em que os varejistas podem expor seus produtos e vendê-los diretamente ao consumidor.

Uma das grandes vantagens de se usar um marketplace é que o empreendedor irá expor seus produtos em um local que há grande tráfego, visualização e procura de itens. Mas há vários outros motivos que fazem com que optar por realizar vendas do varejo em marketplaces seja uma boa alternativa. Dentre elas estão:

  • Facilidade de utilização;
  • Baixo custo de investimento, já que não há necessidade de implantar um e-commerce;
  • Gerar networking e boa reputação para o negócio;
  • Divulgação;
  • Alternativa para quem está começando as vendas pela internet;
  • Mais chances de ser encontrado pelo público-alvo.

Portanto, tanto para quem está iniciando suas operações de vendas pela internet como para quem até mesmo já está algum tempo atuando neste modelo, o marketplaces pode ser um grande acréscimo para as receitas de vendas no varejo.

Mercardo livre sem dúvidas é o exemplo desse modelo de negócios mais conhecido no Brasil e o maior da América Latina. Nele é possível vender qualquer categoria de produto e com bons resultados. Em 2015, a receita líquida já tinha apresentado um crescimento de 50%, conforme notícia do telesintese. Durante a promoção da semana do consumidor, de 2016, o site apresentou um crescimento de vendas de 111%, segundo o Investimentos e notícias. Além dele, há muitos marketplaces em que se pode vender produtos do varejo:

  • Amazon: vende livros, dispositivos etc.
  • Ebay: diversas categorias de produtos, como moda, jardinagem etc.
  • Extra: local para venda de eletrônicos, eletrodomésticos, móveis etc.
  • Submarino: vende diversas categorias, desde livros até mesmo serviços de viagens.
  • Estante virtual: venda de livros usados. Maior sebo virtual.
  • Casa de valentina: Marketplace incrível de decoração.

Como gerir tantos locais de vendas? Vale a pena ter um Hub de Integração?

Ao cadastrar os produtos em diversos marketplaces, o varejista consegue ampliar o alcance de vendas, porém esbarra com uma maior dificuldade de gestão. Afinal, a loja continua tendo a necessidade de gerir estoques, ofertas, atualizar preços, cadastrar novos produtos, gerir fretes etc. O fato de ter muitos locais acaba afetando a qualidade do serviço, e por consequência as próprias vendas.

Mas já há solução para isso. Basta o varejista aderir a um software que integre todos os marketplaces em um uma única plataforma. Por exemplo, caso necessite cadastrar um produto novo, ao usar este software integrador, automaticamente os produtos são cadastrados em vários locais, de acordo com a escolha do lojista. As vendas e controles também serão feitos de um único lugar, o que poupa tempo, gera produtividade, eficácia e mais vendas.

E o melhor de tudo é que não sai caro. No caso do Plugg.to, a cobrança é realizada em cima do sucesso efetivo do lojista com um valor inicial muito baixo.

Que tal alavancar as vendas usando marketplaces?  Conheça nosso Hub de Integração!

Conheça a Plugg.to, e saiba como podemos auxiliar com a Integração Ecommerce com Sistemas de marketplaces.