A crise econômica trouxe algumas difíceis consequências para a população brasileira: o desemprego foi uma delas. De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) este ano, são mais de 10 milhões de desempregados no país. Um número preocupante, que ainda corre risco de aumentar.

Para quem perdeu a vaga no mercado de trabalho, a saída é buscar fontes de rendas alternativas. Trabalhos freelancer e pequenos serviços são algumas das opções encontradas. Mas para quem tem espírito empreendedor, há uma alternativa com muito mais potencial para render um bom dinheiro no fim do mês: o comércio eletrônico. Entenda, neste artigo, porque esta é uma modalidade de comércio que atrai cada vez mais pessoas.

Por que o e-commerce despontou como alternativa ao desemprego?

A crise também reflete nos resultados de vendas feitas pelo comércio. Se o número de desempregados é maior, as pessoas não compram tanto e os lojistas sofrem uma redução no seu faturamento. Há, então, um freio no crescimento do comércio tradicional. Segundo o IBGE, a queda nas vendas entre fevereiro de 2015 e janeiro de 2016 foi de 5,2%. O mesmo não acontece com o comércio eletrônico – que continua crescendo, mesmo durante a crise.

De acordo com o site E-bit, o faturamento no comércio eletrônico no Brasil no primeiro trimestre de 2016 foi de R$ 9,75 bilhões, 1% maior do que no primeiro trimestre do ano anterior. Já o ticket médio aumentou 7%. Estes são números que mostram que, mesmo com a instabilidade da economia, o cenário é positivo para o setor. Por isso, investir na criação de uma loja virtual pode ser uma excelente saída para o desemprego.

Além disso, os custos envolvidos na criação de um e-commerce são relativamente baixos: não é preciso contratar uma equipe para atender os clientes ou ter despesas com a manutenção de um espaço físico. Com um pequeno investimento inicial, você pode criar um site bacana para vender os seus produtos. Existem ainda os marketplaces, como o MercadoLivre, que permitem a divulgação dos seus produtos para um considerável número de internautas. As possibilidades encontradas no comércio digital são muitas e são elas que têm atraído trabalhadores desempregados.

Planejamento: o segredo para uma loja virtual de sucesso

Para quem está entrando no setor de comércio virtual, vale o conselho: dedique tempo para planejar o seu negócio. Quais produtos você pode comercializar online? Como é o perfil do público para quem estes produtos são direcionados? Quanto é preciso cobrar para pagar o material utilizado na produção (ou para comprar o produto do fornecedor), além de outras possíveis despesas, e ainda ter lucro? Como vai ser o plano de divulgação (nas redes sociais e por e-mail, por exemplo)? Em qual – ou quais – marketplace você pretende anunciar? Responda a estas e outras perguntas para garantir um planejamento completo e aumentar as chances de sucesso com o seu e-commerce!

E você, o que acha do comércio eletrônico como saída para o desemprego no Brasil? Deixe a sua resposta nos comentários. 

Conte com a Plugg.to para fazer Integração Marketplace. Conheça nosso Hub de Integração.