Com a tendência de crescimento das vendas digitais no Brasil e no mundo, começamos a nos questionar sobre as surpresas que 2018 guarda em relação ao e-commerce.
De acordo com a Eshopworld, é esperado que até 2021 o número de consumidores online no país cresça 57% em relação a 2015, chegando a 95 milhões de pessoas. Isso mostra o poder potencial das lojas virtuais, devido à curva de crescimento acentuada do setor e sua forte resistência à crise. Por isso é importante prevermos as oportunidades que irão surgir a cada ano para que possamos aproveitar ao máximo o que o e-commerce tem a nos oferecer.

NUMBER-OF-ONLINE-SHOPPERS-IN-BRAZIL-in-millions-1

 

Confira as tendêcias do e-commerce para 2018

Separamos abaixo as tendências mais fortes e mais apostadas pelos profissionais digitais para o comércio digital no Brasil em 2018.

     1) Crescimento de compras via mobile

Hero_Mobile-Shopping-1-1

A maior democratização do acesso aos planos 3G e 4G e o aumento do número de pessoas adquirindo smartphones está fazendo com que os consumidores abracem cada vez mais a ideia de fazer compras via mobile no Brasil. Antes, o acesso para compras era quase exclusivo para desktops, mas desde de 2016 o mobile vem ganhando tal espaço que num futuro próximo estará liderando como meio preferido de se fazer compras online.

Porém, apesar do acesso as lojas ser grande por meio de dispositivos móveis, a taxa de conversão tem sido muito baixa nestes dispositivos. Isso acontece porque muitas vezes o layout da loja não favorece a experiência do usuário, desistimulando-o a comprar. Os consumidores mobile geralmente acessam a loja mais por curiosidade e do que intenção direta de compra, e com isso é notável a importância de chamar sua atenção, se fazer testes e possuir vários tipos de layout para cada tipo de mobile, aumentando a taxa de conversão dos visitantes.

     2) Chatbots e Inteligência artificial

HEAD-Chatbots-and-x-other-uses-of-AI-for-marketing

Como já dissemos neste artigo, os chatbots estão vindo para revolucionar a relação entre o usuário e marca. Além de realizar pedidos rapidamente, os bots dão a vantagem de uma compra mais personalizada e pessoal, pois imitam pessoas reais conversando num chat e possuem a capacidade de amarzenamento de informações de preferência, pagamentos e outros.

O crescimento dos chatbots está ligado diretamente a tendência mobile, citado no primeiro item, já que agora os aplicativos de comunicação estão se adaptando para comportarem os chats automáticos de cada marca.

     3) Compra personalizada

TypeFinder-Squared_2

Mesmo não sendo novidade, a compra personalizada tem muito espaço para crescer em 2018. Este tipo de compra se baseia no armazenamento de dados de cada usuário, seu histórico de compras, de busca e dados obtidos na própria loja virtual. Com uma configuração adequada da plataforma do e-commerce e criação de conteúdos diferentes para cada cliente, a compra personalizada pode trazer uma experiência de compra muito melhor ao consumidor.

     4) Marketplaces

Marketplace-PNG-Photos

Se 2017 já foi um ano incrível para os marketplaces, então 2018 guarda grandes (e ótimos) resultados. Mesmo com a falta de números oficiais sobre o crescimento do setor, é notável a aderência dos lojistas e consumidores aos marketplaces. Este modelo de e-commerce dá a vantagem ao lojista de expor seus produtos em grandes vitrines com alto grau de confiança, sem precisar pensar em construir toda a estrutura de loja online do zero, exibindo seus produtos a milhares de pessoas todos os dias. Aos clientes, os marketplaces estão se mostrando vantajosos pois reunem produtos diferentes, de lojistas diferentes em um só lugar, com credibilidade. Isso poupa muito tempo de comparação de preços e pesquisas sobre a reputação do e-commerce.

Além dos famosos marketplaces que todo mundo conhece (e nos quais com certeza já fez alguma compra), como Dafiti, Casas Bahia, Amazon e Netshoes, grandes entrantes estão percebendo esta oportunidade do mercado brasileiro e chegando com tudo – Foi o caso da Amazon, por exemplo, que está abrindo ainda mais portas para outros similares.

E para quem pensa que o modelo de marketplace é só para os gigantes, está redondamente enganado. Este modelo de negócio está se tornando cada vez mais comum e simples de ser construído – é possível criar um marketplace pela plataforma Magento, por exemplo – isso permite que os marketplaces voltados a nichos, como setor automotivo e saúde/beleza, possam crescer e ganhar cada vez mais relevância.

     5) As 5 categorias de produtos tendência

Estas são as 5 categorias com mais tendência para crescimento do mercado Brasileiro:

  • Clubes de assinatura: Os clubes de assinatura do tipo “pague uma mensalidade e receba x produtos por mês” estão fazendo bastante sucesso por aqui e atuam em vários segmentos, como livros, bebidas, comidas, artigos pet, etc.

Clube-de-Assinatura-O-Analista-de-Modelos-de-Negocios-320x202

  • Eletrodomésticos: Os eletrodomésticos a primeira vista não parecem produtos muito promissores para se vender na internet, mas a procura por esta categoria tem aumentado bastante, devido ao aumento número de eletrodomésticos na casa do brasileiro, e está se mostrando uma das melhores áreas para vender no e-commerce dos próximos anos.
  • Moda + beleza: A respeito de moda e beleza, não é nenhuma novidade que os brasileiros são muito vaidosos e se importam com moda e cuidados pessoais. O que tem mudado é a maneira que eles procuram este tipo de produto. A internet possibilita o consumidor ter acesso à lojas que ficam muito distantes ao seu local, além de oferecer descontos e trocas. Tudo isso estimula não só a compra como o surgimento de muitas marcas independentes, que divulgam seus produtos pelas redes sociais.

fashion-and-beauty

 

  • Pets: Os produtos pets também têm se mostrado incríveis para investir – é um mercado bilionário que está sendo muito resistente a crise. Segundo o IBGE, 44% dos brasileiros possuem pelo menos um cachorro, o que prova a importância desta categoria e seu pontecial de expansão.

dog

 

     6) Omnichannel

A estratégia omnichannel é uma tendência que se baseia em converger todos os canais utilizados pelos lojistas no varejo. O objetivo é fazer com que o cliente não veja a diferença entre o meio online e offline, criando uma experiência de marca completa e que satisfaça o consumidor em qualquer lugar e horário.

O omnichannel unifica a loja física com a online, tanto numa questão de identidade visual quanto estoque e entrega. Por exemplo, o cliente, ao visitar a loja física, irá encontrar a mesma temática interna que o layout da loja online. Ele poderá também fazer uma compra na loja virtual e escolher retirá-la pessoalmente, em qualquer loja física que ache mais conveniente, ou talvez comprar pessoalmente e pedir que entreguem em outro endereço. Essa unificação traz um grande fortalecimento da presença de marca e a reforça positivamente a sua percepção por parte dos clientes.

Além da experiência de marca, existe a vantagem da coleta de informações para melhor entendimento do comportamento e personalização das ofertas para o cliente. Com todas as operações integradas, a coleta de dados fica mais fácil, é possível, por exemplo, descobrir onde os clientes procuram ofertas e informações sobre os produtos, se é por meio de redes sociais, sites de busca ou pessoalmente. Isso possibilita que a empresa crie uma oferta mais acertada para cada tipo de pessoa, tanto na questão de conteúdo quanto no meio em que escolherá fazê-lo, aumentando a possibilidade de compra.