Mappin teve anos de glória nas décadas de 70 e 80, até o início de 90; encerramento das atividades foi em 1999, sob comando da família Mansur. — Foto: Divulgação
Mappin teve anos de glória nas décadas de 70 e 80, até o início de 90; encerramento das atividades foi em 1999, sob comando da família Mansur. — Foto: Divulgação

A plataforma vai contar com portfólio de 15 mil itens à venda, com produtos de cama, mesa e banho, utilidades domésticas, móveis e decoração.

A plataforma foi desenvolvida com tecnologias e logística para a atuação nacional da marca. Segundo Abdul Fares, sócio-diretor financeiro da Marabraz, o investimento é de mais de R$ 4 milhões.

“A ideia do e-commerce é tornar possível que as pessoas encontrem tudo o que procuram, como era a proposta da marca antigamente, mas agora sem precisar sair do conforto do lar”, explica Nader Fares, sócio-diretor comercial da Marabraz.

Entre as novidades, haverá uma linha de móveis exclusiva Mappin com produtos multiuso, como cadeiras que viram estantes e gavetas que se transformam em bancos.

Para o segundo semestre, a marca anunciou a estreia de um marketplace, plataforma online que reúne diversos varejistas, que deverá ter participação de grandes nomes e catálogo com mais de 500 mil itens.

Mappin volta, por enquanto na internet, anunciando grande variedade de produtos — Foto: Divulgação
Mappin volta, por enquanto na internet, anunciando grande variedade de produtos — Foto: Divulgação

Ápice e falência

A marca Mappin chegou ao Brasil em 1913 como pioneira do comércio varejista de grande escala. Inicialmente com lojas de luxo, a rede passou a adotar um modelo mais popular em um prédio na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo, onde atualmente está uma unidade das Casas Bahia.

Na década de 1990, a rede passou por grandes dificuldades financeiras e, em 1996, acabou vendida para o empresário Ricardo Mansur. A rede entrou em falência em 1999 e foi adquirida em um leilão judicial pela Marabraz em 2009 por R$ 5 milhões, apesar de a marca ter sido avaliada em R$ 12,1 milhões.

Em 1939, o Mappin mudou para a Praça Ramos de Azevedo, na capital paulista, e nas décadas de 40 e 50 passou a vender diversos tipos de produtos para seus clientes. — Foto: Divulgação
Em 1939, o Mappin mudou para a Praça Ramos de Azevedo, na capital paulista, e nas décadas de 40 e 50 passou a vender diversos tipos de produtos para seus clientes. — Foto: Divulgação

A Marabraz é especializada em móveis residenciais e tem por alvo as classes C, D e E. No total, possui 130 unidades na capital paulista, na Baixada Santista, no Vale do Paraíba e em municípios da Grande São Paulo.

Via G1