O e-mail marketing é uma das estratégias no mundo digital para a captação de novos clientes, visto que os seus resultados já são comprovados. Por esse motivo, muitas empresas investem em novas formas de divulgação por meio do correio eletrônico, não só para aumentar o público de potenciais clientes, mas também, fidelizar os já consumidores.

De acordo com uma pesquisa do PewResearch, existem cerca de 4,3 bilhões de contas de e-mail em todo o mundo. A estimativa é que mais de 92% das pessoas utilizem o recurso; desse total, 61% usa o e-mail diariamente. O estudo também demonstrou que 72% dos consumidores preferem se comunicar com as empresas via e-mail, pois acreditam que o canal é mais eficiente e confiável.

Segundo a Content Trends, 46% dos empreendimentos no Brasil utilizam o e-mail marketing para disparar conteúdo promocional. E esse número tende a crescer, especialmente, pelas ações de agências de marketing digital. Isso porque um e-mail é 40 vezes mais efetivo para aquisição de novos clientes, em comparação com as redes sociais (Facebook e Twitter).

Portanto, não dá pra ignorar as potencialidades do e-mail marketing para qualquer ramo de negócios. Todos os tipos de empreendimentos estão percebendo a importância do e-mail marketing, desde as grandes lojas de departamento, até outros ramos do mercado, como uma empresa de pintura predial da construção civil.

Conceitos importantes do e-mail marketing

Mas, antes de conhecermos as principais dicas para nutrir clientes com o e-mail marketing, é preciso conhecer alguns conceitos, que fazem parte das estratégias de marketing digital. Desse modo, será mais fácil compreender as recomendações.

Os leads

O chamado “lead”, em marketing digital, refere-se ao potencial cliente, que apresentou interesse em adquirir determinado produto e/ou serviço. De maneira geral, a pessoa é classificada como lead após fornecer informações de contato para a empresa, como por exemplo, um endereço de e-mail, nome, telefone, etc. Esses dados podem ser pegos por meio de um formulário de contato, por exemplo.

Desse modo, imagina uma empresa que vende pallet sob medida. Por meio de um texto publicado em blog, o empreendimento pode falar mais para o que serve o produto, suas principais especificações e vantagens. O usuário que lê o conteúdo pode ter interesse no pallet e, como consequência, entrar em contato com a empresa, transformando-se em um lead.

A geração de leads é fundamental para aumentar as vendas de uma empresa, ainda mais porque a taxa de conversão digital precisa de um grande número de usuários. Por isso, além de captar os leads é preciso nutrí-los, ou seja, fazer com que os clientes interessados realmente possam efetivar a compra, por meio de um bom relacionamento com a empresa.

O e-mail marketing

O e-mail marketing é uma estratégia de Marketing Digital, que tem o objetivo de estabelecer uma comunicação entre a empresa e os leads, por meio do correio eletrônico (e-mail). O contato é feito por meio do disparo de e-mails, geralmente segmentados, através de ferramentas de automação.

O e-mail marketing tem alguns formatos principais, incluindo:

  • Ofertas;
  • Promoções;
  • Newsletter;
  • Confirmação de compra;
  • Acompanhamento da compra;
  • Entrega do produto.

Os três últimos itens (confirmação de compra, acompanhamento e entrega do produto) são fundamentais para nutrir o relacionamento com os leads, pois, por meio deles, o cliente terá segurança e garantia do negócio.

Assim, caso o consumidor tenha feito a compra de uma cola spray para tecido, com pagamento em cartão, a empresa pode enviar um e-mail confirmando o pagamento, posteriormente, outro com o prazo de entrega e o código de rastreamento. Por fim, depois da entrega do produto, o cliente recebe um e-mail para dar um feedback a respeito da qualidade da mercadoria, tempo de entrega e atendimento.

É importante salientar que o e-mail marketing não é um spam, termo usado para referir-se ao conjunto de e-mails não solicitados, disparados para um grande número de pessoas. A principal diferença está na personalização do e-mail marketing e, além disso, o recurso oferece a opção de “cancelamento”, caso o cliente não queira mais receber mensagens.

4 Dicas para nutrir leads com o e-mail marketing

Depois de aprender os principais conceitos do Marketing Digital, está na hora de conhecer as estratégias de e-mail marketing para nutrir leads. São elas:

1 – As newsletters

A newsletter, também chamada de boletim informativo, é uma publicação fixa da empresa divulgada aos potenciais clientes e clientes, com o intuito de promover algum conteúdo, por meio de informações. Ela pode ter um formato semelhante a um jornal ou revista, com linha editorial e periodicidade.

Assim, na newsletter pode atribuir vários conteúdos, como uma matéria sobre o funcionamento do raio X industrial, as formas de uso e principais aplicações. No entanto, é imprescindível que os assuntos tenham relevância para o cliente e estejam relacionados com o tipo de produto e/ou serviço da empresa.

Vale lembrar que a newsletter é segmentada, ou seja, ela não é entregue para todos os usuários, somente para os leads que optaram em receber esse conteúdo. Normalmente, são os usuários que preenchem algum tipo de formulário online, no site/blog da empresa.

Uma prática muito comum na newsletter é incluir hiperlinks no boletim para outros conteúdos da empresa, que podem estar no blog ou no site do empreendimento. Um exemplo é um anúncio de cordão para crachá, com um hiperlink direto para o produto no e-commerce da empresa. Dessa forma, é possível determinar quantos cliques vieram por meio da newsletter e ter um parâmetro de análise do engajamento dos leads.

2 – Os webinars

O webinar é uma espécie de seminário educativo online, que pode ser veiculado diretamente pelo e-mail marketing. A principal vantagem dessa estratégia está na diferenciação de formato, já que os conteúdos audiovisuais tendem a ser mais atrativos para os clientes.

Assim, ao invés de escrever um texto sobre a instalação de um eletroduto galvanizado, a empresa pode investir em uma gravação simulada em audiovisual, como forma de captar o interesse e a atenção dos leads.

A tendência é que os webinars sejam usados para tratar de temas mais aprofundados e complexos. Isso fará com que o lead avance no funil de vendas e tenha maiores chances de fechar o negócio. Além da divulgação no próprio e-mail marketing, a empresa pode integrar canais, como o YouTube e Facebook, para ampliar ainda mais o alcance de público.

3 – O Call To Action (CTA)

O Call To Action (CTA) consiste em uma chamada para ação, por meio de um link ou botão personalizado, com com em destaque, que orienta o lead para realizar determinada atividade. Geralmente, os termos usados no CTA são imperativos, como “clique”, “acesse”, “conheça”, etc.

Por exemplo, em um anúncio de e-mail marketing sobre fachada acm, é possível inserir um botão CTA com a chamada “conheça nossos produtos”, orientando o lead a clicar na chamada para ver fotos da fachada e, possivelmente, efetuar uma compra.

Para compreender como o CTA atua no processo de conversão, é necessário relembrar um conceito do marketing conhecido como AIDA (Atenção – Interesse – Desejo – Ação). Isto é, é preciso despertar a atenção do lead, para gerar interesse e o desejo por determinado produto e/ou serviço e, finalmente, orientá-lo para a ação de compra.

Ademais, não basta inserir o botão CTA no e-mail marketing e esperar que o cliente realize a compra. É preciso condicioná-lo. Para isso, seguem algumas recomendações:

  • O tamanho do CTA precisa ser equilibrado, em relação aos demais elementos do e-mail marketing (textos, imagens, layout, etc);
  • A posição do CTA precisa ser estratégica, geralmente, ao final do conteúdo, centralizado;
  • A composição de cores do CTA precisa seguir a identidade visual da marca, porém, com tonalidades atrativas para a chamada à ação;
  • O número de botões CTA não pode ser em exagero.

4 – Ebooks e whitepapers

Os e-mail marketing precisam oferecer algo de novo aos leads, não somente as mesmas propagandas e anúncios. Por esse motivo, uma estratégia interessante é o oferecimento de conteúdos aprofundados, por meio de ebooks ou whitepapers. Em geral, esses dois recursos têm a mesma função: trazer mais informações sobre o assunto; no entanto, o ebook tem um formato de livro, com mais páginas, enquanto o whitepaper é menor.

Dessa maneira, uma empresa que trabalha com tampa flip flop pode produzir um whitepaper sobre o uso de polímeros na indústria, os benefícios da matéria-prima e como eles contribuem para o desenvolvimento sustentável. Assim, o lead é convidado a fazer o download do whitepaper diretamente por um link disponível no e-mail marketing.

Tanto os ebooks como whitepapers podem ser produzidos com textos informativos em conjunto com imagens, para chamar ainda mais a atenção dos leads.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.