Descubra o essencial para vender alimentos em marketplace

Mesmo sendo um dos setores menos afetados pelas restrições durante o período de quarentena e lockdown, o segmento alimentar teve um crescimento expressivo no meio online.

Em um comparativo entre os meses de Janeiro a Dezembro de 2020, realizado pela Conversation.

O Setor de comidas & bebidas teve um aumento de 91%

Um dos fatores que mais contribuíram para o crescimento desse nicho foi a mudança de hábitos do consumidor.

Pessoas que antes não consumiam de modo algum produtos e serviços online viram como única alternativa de consumo a compra virtual.

E os marketplaces notaram bem isso…

No ano anterior (2020), o Mercado Livre disponibilizou um balanço das vendas em sua plataforma.

As categorias de bebidas e alimentos aumentaram em 644% no marketplace.

O grupo GPA que já possuía o título de maior e-commerce do nicho alimentício, abriu suas portas de vez para lojistas externos e estreou o seu marketplace com a campanha “2020 chegou para mostrar que você pode fazer tudo online”

Até o final deste artigo você estará por dentro de um dos setores que mais cresce!

Com tantas oportunidades e números positivos que o nicho possui, fica a seguinte dúvida:

Como vender produtos alimentícios online?

imagem-vender-alimento-online

A grande preocupação com a comercialização de produtos do segmento alimentar é a logística. Principalmente para produtos líquidos e com embalagens frágeis.

Alinhar os métodos de envio com o catálogo de produtos oferecidos é essencial para o sucesso nesse segmento.

Entretanto, alguns canais de venda como a B2W criaram alternativas de entrega para aproximar o lojista do cliente e diminuir o tempo de expedição e envio.

A chamada Entrega na Vizinhança possibilita que os lojistas entreguem os seus produtos no mesmo dia em um raio de distância máximo de 7 quilômetros do CEP do lojista.

Porém para empreendedores que não se encaixam nesse cenário é sempre bom fazer um checklist do seu catálogo de produtos antes de realizar os anúncios:

Ir na contramão dessas preparações iniciais pode aniquilar sua operação já no estágio inicial!

Vamos fazer um exercício? Imagine a seguinte linha do tempo.

Você abriu uma loja e comercializa sucos, o seu empreendimento fica localizado em uma avenida movimentada, perto de um ponto de ônibus.

Essa é a combinação perfeita, uma bebida rápida para pessoas com pressa

Porém, logo na primeira semana você não levou em consideração um fator:

Pessoas que andam de ônibus e procuram uma bebida para consumo imediato têm dificuldades para transportar o líquido em copos de plástico.

Os consumidores que já conheciam o seu produto começaram a contar para as outras pessoas sobre o ponto negativo de comprar o seu produto e você teve uma queda nas vendas de suco.

DEU PARA ENTENDER ONDE EU QUERO CHEGAR?

As avaliações e reputação nos marketplaces são super importantes, elas ditam a visibilidade do seu anúncio e o mais valioso:

Representam a prova social, que dá segurança para outras pessoas escolherem o seu anúncio.

Por isso o atendimento e foco na experiência do cliente é tão importante nas vendas online, e essa lição serve para qualquer segmento.

Por quais produtos devo começar?

A tendência é que os marktplaces se tornem hipermercados online, logo o lojista tem a possibilidade de oferecer um catálogo vasto de produtos.

Entretanto a Kantar Worldplane, uma empresa de consultoria internacional, fez um balanço das categorias do segmento do varejo online e suas respectivas porcentagens de vendas.

  • Produtos frescos – 0,6%
  • Bebidas – 0,4%
  • Alimentos – 1,1%
  • Lácteos – 1,1%
  • Alimento para cães/gatos – 2,4%
  • Limpeza – 9,2%
  • Cuidados pessoais – 62,3%
  • Outros: 22,9%

APOSTE NOS PRODUTOS DE NICHO DENTRO DO SEGMENTO!

A internet tem o poder de aproximar pessoas de objetos e itens do seu interesse, sem ter a barreira demográfica.

Vender produtos mais específicos como: matéria prima para comidas regionais, alimentos de outros países e etc. Pode ser um bom insight para vendas de alimentos na internet!

CONCLUSÃO

O segmento está em pleno crescimento e recebendo incentivos, como a entrada de grandes redes de supermercados, como o GPA e o desenvolvimento de soluções para a logística, como a entrega na vizinhança da B2W. Entretanto, esses não são os únicos marketplaces que aceitam categorias de itens do nicho alimentar.

Você consegue conferir quais outros canais de venda aceitam esse catálogo de produtos baixando o nosso E-book de exigências nos marketplaces.

E preste atenção nesse último parágrafo, o mantra de quem vende alimentos online!

icone-embalagem-alimentos-entrega
1. Se atente às embalagens.
icone-cliente-feliz
2. Produtos chegando sã e salvos na casa do seu cliente significam menos prejuízos a operação e consumidores satisfeitos!
icone-embalagem-alimentos
3.Reúna todas essas dicas para não errar na hora vender produtos alimentícios nos marketplaces e boas vendas!
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn