You are currently viewing Dia Internacional da Internet Segura

Nesta terça-feira, dia 8 de fevereiro de 2022 é comemorado o Dia Internacional da Internet Segura ou Safer Internet Day, como é chamado originalmente no inglês.

O dia da internet segura é uma data 100% focada na conscientização de um assunto que precisa ser discutido, ainda mais no contexto dos últimos anos onde o tráfego na internet aumentou e, consequentemente, acabou o tornando um ambiente com mais perigos.

perigos-na-internet

Armadilhas, golpes cibernéticos, invasão à privacidade e fraudes financeiras são alguns dos crimes cometidos no mundo digital.

Dia da Internet Segura 2022

Neste ano, a campanha tem como objetivo “envolver e unir os diferentes públicos na promoção de atividades de conscientização em torno do uso seguro, ético e responsável das TICs (Tecnologia da Informação e Comunicação) nas escolas, universidades, ONG’s e na própria rede”, segundo a SaferNet Brasil, a promotora do evento no país.

A cada ano o evento possui um tema diferente e em 2021, por exemplo, a pauta debatida foi “unidos para uma internet mais positiva”, que teve como proposta enfatizar a necessidade de cada um de nós fazermos a nossa parte contribuindo para um uso responsável da internet.

História da data

O Dia da Internet Segura foi criado em 2004 pelas redes Insafe-INHOPE e Comissão Europeia, com a finalidade de promover o uso consciente, seguro e responsável da web e de telefones celulares, especialmente entre jovens e crianças de todo o mundo.

Essa iniciativa reúne atualmente mais de 200 países. O Brasil participa desde 2008 do projeto e comemora a data desde 2009.

De acordo com a própria SaferNet Brasil, de 2009 a 2021, ocorreram 994 eventos (organizados individualmente) ao longo do país para conscientizar a população sobre os perigos da internet e melhores práticas de proteção.

seguranca-na-internet

Principais cuidados ao navegar na web

O mundo digital não conhece fronteiras e, apesar de todos os benefícios e oportunidades que ele traz, também está repleto de cibercriminosos.

Preparamos algumas dicas e alertas básicos de segurança que é necessário ter em mente para fazer o uso seguro da internet.

Phishing

A prática de e-mails falsos é uma das mais famosas e antigas armadilhas digitais. Ele geralmente chama a sua atenção de duas formas: atiçando sua curiosidade com uma oferta muito boa ou pelo medo.

Alguns exemplos disso são propagandas e promoções falsas, boletos bancários ou contas que precisam ser pagas imediatamente. Na grande maioria desses casos, ao clicar em algum link ou abrir um anexo, esses documentos carregam um vírus capaz de redirecionar para páginas de conteúdos maliciosos.

A ideia é sempre ter acesso ou roubar seus dados pessoais para aplicar fraudes ou chantagem. Esteja atento!

Senhas

As senhas são praticamente nossas chaves do mundo digital. Com elas acessamos praticamente tudo que está em nosso alcance, menosprezá-la é um erro grave. Portanto, na hora em que for criar um código de acesso para suas redes sociais, tente usar combinações complexas com números, letras e caracteres especiais.

Se ela for muito complicada e você acabar esquecendo, não se preocupe. Hoje em dia existem aplicativos que funcionam como um gerenciador de senhas. Ele é como se fosse um cofre virtual e para abri-lo basta lembrar de uma única combinação.

Não se esqueça, quanto mais sua senha for aleatória, mais forte e segura ela é. Além disso, evite de todos os modos a repetição dela em mais de dois sites na web.

Fake News

Um dos termos mais usados e comentados nos últimos anos. Se a internet foi, por muito tempo, considerada uma ferramenta de conhecimento rápido e confiável, esse status acabou mudando.

Além da propagação de notícias falsas de forma acidental, também existem grupos de pessoas que criam esse tipo de conteúdo propositalmente para jogá-los em grupos de plataformas e redes sociais como Whatsapp e Facebook.

fake-news

Porém, existe uma forma dos cidadãos combaterem a desinformação, que é usando as agências de fact-checking. Esses sites fazem a checagem de informações e apontam se ela é falsa ou verdadeira.

Compras onlines

Um dos setores que mais cresceu e viveu seu Bum durante a pandemia por causa do fechamento do comércio físico. Comprar pela internet deixou de ser apenas uma opção e se tornou imprescindível para a população.

Com o aumento no tráfego e a procura por produtos pelo menor preço, comércios eletrônicos fraudulentos aproveitaram essa oportunidade para aumentar ainda mais os golpes para roubar dados de cartões ou simplesmente pegar o seu dinheiro e não enviar o produto prometido.

No final das contas, não basta ser apenas um site de uma empresa confiável ou de boa índole, é preciso investimento em segurança para os clientes terem a liberdade de efetuar compras sem preocupação.

compras-online-nao-seguras

Brechas no sistema não podem serem aceitas, pois isso facilita a entrada de hackers que terão acesso informações cadastrais como endereço, nome, CPF entre outros, além de dados bancários das usuarios que depositaram sua confiança e utilizaram o site que não está cumprindo com a nova Lei Geral da Proteção de Dados ou LGPD.

A Plugg.to tem um compromisso com a causa

Seguindo a LGPD desde que entrou em vigor a Plugg.to, empresa que atua em um segmento 100% digital, reafirmamos a responsabilidade em manter a segurança dos nossos clientes. Afinal de contas, é dever de qualquer empresa promover um ambiente protegido para os internautas.

Sobre a importância de seguir todas as normas da LGPD, Max Stalin que representa o time de desenvolvimento, responsável pela infraestrutura da Plugg.To afirma:

Quando uma empresa segue todas as normas de proteção aos dados isso garante total transparência e confiabilidade aos seus clientes, pois sabem que as informações que transitam pelo serviço estão sendo devidamente tratadas e seguindo todo ciclo de início, meio e fim com segurança.

Max Stalin - Responsável pela infraestrutura da Plugg.to

Conclusão

Segundo levantamento recente realizado pela ONU, cerca de 4,9 bilhões de pessoas usaram a internet no ano de 2021. Em conjunto com empresas e instituições, a população tem um papel fundamental na mobilização em torno dessa mudança.

Sendo usuários desse ambiente, é um dever cívico fazer uma prática saudável dessa ferramenta que movimenta o mundo. Além de respeitar e tomar os devidos cuidados, devemos denunciar qualquer forma e ato que se enquadre como cibercrime.