You are currently viewing Como criar um marketplace? Descubra o que é necessário!

Você sabe quem foi o grande campeão de vendas no final do ano de 2022 e foi o responsável por juntar alguns eventos de peso como Copa do Mundo, Black Friday e Cyber Monday?

Isso mesmo que você pensou, os famigerados marketplaces.

De acordo com um levantamento feito pela empresa ALL In em parceria com Opinion Box e Americanas Advertising, que analisou a experiência de compra em marketplaces e o comportamento do consumidor durante este período citado, Black Friday e a Cyber Monday, cerca de 47% dos consumidores brasileiros confiam mais em marketplaces do que em ferramentas de buscas, como Google e Yahoo.

Mas afinal de contas, o que pode explicar tal popularidade entre os consumidores? inúmeros fatores, como por exemplo:

  • Explosão durante a pandemia 
  • A quantidade de grandes empresas atuando no modelo 
  • Desenvolvimento de políticas de entrega rápidas e confiáveis 
  • Abrangência de produtos 
  • Estimula a economia colaborativa

O resultado de vários fatores acabou colaborando para que esse modelo alcançasse um resultado extremamente expressivo, o de ser responsável por 78% do faturamento do e-commerce.

E aí, que tal criar o seu próprio marketplace? Mas saiba que, antes de qualquer coisa, você vai precisar de uma ferramenta específica, e vamos falar dela logo abaixo:

Como criar um marketplace: passo a passo

Seller Center

Basicamente ele é o centro de operações do canal, a sala de comando onde todas as informações referentes a sua plataforma estão centralizadas.

Essa ferramenta é o cérebro da gestão do seu negócio, pois é a partir dela que será possível controlar todos os fluxos e demandas que um marketplace de peso carrega. A verdade é que muitos negócios já foram prejudicados justamente por essa falta de organização operacional. 

A falta desse tipo de administração mais centralizada, integrada e sólida acaba dificultando a vida tanto de quem gerencia o marketplace quanto de quem vende através dele, ambos os lados ficam mais vulneráveis a falhas. 

Se o canal não consegue ser uma base para os lojistas, então isso vai consequentemente vai acarretar em diversos problemas, como por exemplo:

  • Atendimento ruim e demorado
  • Atraso na entrega e despacho do produto
  • Falta de transparência com o cliente
  • Furos no estoque

Com esses problemas básicos já fica impossível focar e pensar no que realmente importa para seus parceiros: VENDER 

Lembrando que um bom resultado só pode ser obtido se houver um bom relacionamento e alinhamento entre lojistas e plataformas, caso contrário os dois vão sair perdendo.

Aposto que agora você sabe o que é essa ferramenta você deve estar a procura de Seller Center. Mas por sorte temos uma indicação de um para você, o Seller Center da Plugg.To. 

Agora que você já sabe o que essa ferramenta faz, vamos mostrar como ela pode impactar positivamente o seu negócio:

Benefícios de utilizar um Seller Center da Plugg.To

  • Ter uma maior visão operacional das vendas realizadas na plataforma 
  • Criar campanhas e Buy Box para estimular os vendedores 
  • Equipe técnica disponível a qualquer momento para auxiliar no desenvolvimento de melhorias do marketplace 
  • Ter acesso a relatórios completos e diversificados sobre todas movimentações realizadas dentro do canal 
  • Além de viabilizar e facilitar a entrada de novos parceiros, a quantidade de lojistas e produtos é ilimitada 
  • Defina os padrões e regras do negócio em poucos cliques

Quando se trata do seu próprio marketplace não se pode brincar, é imprescindível ter a melhor plataforma. 

Já imaginou o quanto todas essas ferramentas podem tornar o seu marketplace escalonável? Agora só depende de você! 

Fale com um dos nossos consultores para saber mais sobre o SellerCenter Plugg.To e feche o negócio que pode mudar a história do seu negócio.

Agora que você já conhece a ferramenta que pode te ajudar nessa empreitada, vamos explicar de uma vez por todas o que é necessário para iniciar o seu próprio marketplace.

Pesquise o mercado

A primeira coisa que deve ser feita, não importa o tipo de negócio que você queira começar, é entender se ele é viável ou não, ou seja, será que ele se encaixa nas condições de mercado atuais e futuras, a curto prazo. 

É nessa etapa que vai ser decidido qual o tamanho do mercado e se ele ainda pode ser explorado, além de qual segmento ele vai pertencer e se existe margem para crescimento. A partir dessas questões chegaremos às seguintes respostas:

  • Qual o segmento do canal? 
  • Qual a persona do seu lojista parceiro? 
  • Qual a persona do seus compradores?

Além disso, tenha em mente que você terá concorrentes, logo será necessário analisá-los tanto para entender melhor como eles se comportam e atuam no mercado. E claro, quando falamos de concorrentes, não estamos se referindo aos grandes players, mas sim marketplaces menores.

De forma geral, será necessário uma pesquisa bem densa e estratégia, e após isso você vai conseguir idealizar de forma melhor e analisar os pontos abaixo:

Define como o negócio vai capitalizar

Como qualquer negócio, o objetivo final é obter lucro, logo uma parte que merece muita atenção é definir modelo de receita, a forma como você vai conseguir dinheiro. 

Entre os formatos de receita mais comuns nos marketplaces estão:

  • Comissionamento em cima de cada venda realizada
  • Mensalidade
  • Mensalidade baseada na quantidade de leads

Importante dizer, no entanto, que os principais marketplaces utilizam o estilo de comissão e eles variam bastante de acordo com cada plataforma, sendo uma porcentagem fixa ou que se adequa a cada categoria, caso seja um canal de catálogo aberto.

A última opção é destinada mais para marketplaces que trabalham com serviços ao invés de produtos. Geralmente funciona do seguinte modo: quanto mais clientes, maior o valor cobrado.

 Saiba mais em: O que é a comissão cobrada nos marketplacces

Entenda o tipo de marketplace que vai ser

Aproveitando que já citamos no item anterior os marketplaces de serviço, a tarefa de decidir o modelo de negócio e de receita está lado a lado. Lembrando que com a evolução tecnológica o mercado se tornou muito abrangente e hoje existem marketplaces: 

Defina como será a sua plataforma

Depois de passar de passar por essas etapas você vai precisar escolher entre entre duas opções para iniciar o seu negócio:

  • Contratar um programador para iniciar um projeto do zero.
Lembrando que esse projeto deve incluir o design, marketing e um grupo de desenvolvedores para conseguir lançar o negócio. 
  • Contratar uma plataforma de marketplace
As chamadas de White Label podem ser uma alternativa mais viável para aquele lojista que deseja menos trabalho e mais otimização. Elas são consideradas uma evolução natural das plataformas de loja virtuais.

De modo geral, esses são os principais fatores que você deve se atentar para criar um marketplace lucrativo, bem-sucedido e que possa crescer com o decorrer do tempo, buscando sempre novos públicos e vantagens para seus vendedores. 

Porém, se você ainda não não começou o negócio e quer entender melhor os marketplaces e como eles são uma forma de expansão natural de quem possui um e-commerce, recomendamos que dê uma conferida no nosso ebook abaixo: