You are currently viewing E-commerce internacional: cross-border

O varejo digital alcançou um expressivo aumento de 27% no ano passado em comparação com 2020, tendo um faturamento de aproximadamente R$ 182,7 Bilhões.

O mais impressionante de tudo é que, mesmo após tanto tempo de expansão e evolução do setor, cerca de 12,9 milhões de brasileiros compraram online pela primeira vez apenas em 2021, elevando o total para 87,7 milhões de consumidores usuários do canal.

Ainda nesse mesmo relatório elaborado pela NielsenIQ/Ebit, foi apontado que o ticket médio geral teve uma alta de 4% em relação a 2020, chegando a R$ 441.

Então com certeza você já deve ter se perguntado como funciona a nível global, já que a internet possibilitou que haja compra e vendas de produtos entre pessoas de diferentes países de modo mais fácil.

Nesse artigo vamos te explicar melhor como funciona o e-commerce internacional.

O que é Cross-border?

Também chamado de comércio transfronteiriço , é uma categoria que se refere à comercialização de produtos de países diferentes.

Cada vez mais essa prática vem chamando atenção de diversos sellers e empresas do setor, por causa da grande adesão e por proporcionar algumas vantagens.

Graças aos avanços tecnológicos se tornou algo possível adquirir uma mercadoria cujo estoque está em outro continente de modo fácil e prático, apenas usando qualquer tipo de computador, próprio celular ou dispositivo móvel de preferência.

Caso você tenha alguma dúvida ou desconfiança se o Brasil é visto como uma potencial do varejo digital, apenas observar o exemplo da seguinte empresa:

shopee

Shopee

Mesmo com pouco tempo de estadia no Brasil, ela já apareceu na quinta posição do ranking dos 10 maiores e-commerces do país no último relatório feito pela Conversion.

Além de fazer propagandas recheadas de estrelas internacionais e nacionais como Cristiano Ronaldo, Jackie Chan, Barões da Pisadinha e Larissa Manoela, o grande motivo pelo qual ele tem caído na graça dos brasileiros é a política de vendas.

Com produtos vindos em grande parte da China, uma potencial econômica famosa por produzir mercadoria em larga escala, a empresa ainda adota estratégia de fazer diversos eventos oferecendo cupons de descontos e promoções por tempo ilimitado.

Quais são os produtos mais vendidos nesse modelo?

Segundo relatório recente da Conversion, essas são as categorias de produtos mais importadas pelos consumidores brasileiros:

  • Eletrônicos
  • Celulares
  • Roupas
  • Calçados
  • Joias

Nessa mesma pesquisa, foi apontado como fatores que mais influenciam positivamente as compras internacionais de produtos físicos os seguintes motivos:

  • Preço baixo
  • Custo Benefício
  • Custo do Frete
  • Qualidade dos produtos
  • Sites Confiáveis

Afinal de contas, o que é necessário para fazer o Cross-border

Acima de tudo muita coordenação e conhecimento sobre as diversas esferas que compõem o processo de comercialização de produtos para diferentes países. Se pudéssemos dividir em etapas, ficaria do seguinte jeito:

ilustracao-Cross-border
  1. Fazer uma análise de mercado e entender se de fato existe uma demanda para os produtos que você deseja comercializar para outras regiões.
  2. Quando falamos de importação para revenda, as empresas estrangeiras são fundamentais. Buscar fornecedores de outros países, de preferência asiáticos, como por exemplo China é o ideal, pois pedidos em grande quantidades acabam saindo muito mais em conta.
  3. A estratégia de precificação também precisa ser toda repensada para o mercado exterior. Afinal de contas, deve ser levado em consideração os custos de logística para se chegar a uma margem de lucro ideal.
  4. Na hora de escolher por qual marketplace você quer anunciar seus produtos tenha em mente que as plataformas mais famosas e robustas são as melhores opções.

Mas e a logística?

No cross-border existe dois tipos principais de exportação, confira quais são:

Direta

Neste caso não há um intermediário, portanto a sua própria empresa é responsável pela distribuição dos produtos.

Como benefício, nesse estilo de exportação a sua loja recebe uma isenção de dois impostos, o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e ICMS ( Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços)

Indireta

Esse é mais comum pois envolve o intermédio de uma empresa que será responsável por gerenciar e levar os produtos para os clientes localizados em outro país.

Nesse caso você não terá contato direto com o cliente, pois quem cuidará de toda parte do processo logístico que envolve transporte e negociação ficará a cargo desse intermediário.

E as suas vendas em território nacional, como elas estão indo?

Claro que não custa nada sonhar, afinal de contas o céu é o limite para qualquer empreendedor, porém, enquanto você ainda não internacionaliza sua loja, quero te passar uma dica para melhorar suas vendas no Brasil.

Usar um hub de integração pode colocar o seu negócio em outro nível, pois essa ferramenta é capaz de centralizar todo a sua operação em um único painel, interligando seu estoque a todos marketplaces para qual você deseja anunciar.

ilustracao-dashboard-hub-de-integracao

Caso queira saber mais recomendo dar uma olhada no canal da Plugg.to no Youtube, lá está recheado de conteúdo sobre o mundo dos e-commerces e marketplaces.